Viviane Ch. 04

byTathy©

O Marcos me disse que tirava muitas das idéias dele de histórias que havia lido internet e foram essas histórias que despertaram nele aquela vontade de me exibir para outras pessoas. Ele percebeu que eu tinha uma queda para o exibicionismo e não demorou para perceber que nós poderíamos nos ajudar mutuamente. Ele me chamou na casa dele e me mostrou um vídeo que ele havia gravado.

Para minha surpresa, era do dia em que ele havia me amarrado na mesa e eu fiquei exposta para o amigo dele. Assistir aquele vídeo e ver de outro ângulo o que havia acontecido foi quase tão excitante para mim quanto no dia que aconteceu. O Marcos me disse que havia escondido a filmadora para que nenhum de nós percebesse que estávamos sendo filmados de modo que tudo acontecesse naturalmente.

Depois de umas três finais de semana na piscina da nova casa do Marcos, meu bronzeado estava perfeito e irretocável, sem nenhuma marquinha de biquíni, pois o Marcos fazia questão que eu não os usasse. Ele também fazia questão que eu continuasse perfeitamente depilada, mas aquilo dava um certo trabalho. Ele ofereceu pagar para eu fazer uma depilação a laser eu aceitei a oferta. Eu marquei a depilação e ele fez questão de me acompanhar. Aproveitando a oportunidade, eu fiz depilação nas axilas, e em toda a região pubiana incluindo o ânus. Isso me obrigou a ficar algumas semanas sem tomar sol, mas o resultado valeu a pena.

Assim que o dermatologista me liberou para tomar sol novamente, o Marcos disse que queria por em prática algumas histórias que ele tinha lido na internet e que o deixaram muito excitado. Ele fez algumas pesquisas para encontrar o lugar ideal e reservou um quarto em um hotel no litoral para passarmos o final de semana. O Marcos me disse para deixar toda a preparação da viagem com ele.

Inclusive as minhas malas foi ele que fez. Ele fez questão que eu não visse o que ele estava colocando na mala, pois queria fazer surpresa. Ele disse que estaria totalmente no comando desta vez. Eu achei excitante saber que teria que fazer tudo o que ele quisesse e sabendo que poderia confiar nele, concordei com todas as exigências dele.

Ele ficou um bom tempo fechado no meu quarto e fez uma bagunça nas minhas coisas, mas eu não achei ruim, pois sabia que valeria a pena. Com a minha mala pronta, ele apenas disse para eu pegar os cremes e protetor solar que eu quisesse, mas pediu que eu não levasse maquiagem. Ele disse que me queria completamente ao natural.

Ele separou apenas um vestido branco de malha que eu já não usava mais depois da minha cirurgia nos seios. Ele já era ousado quando meu seios eram pequenos e agora ele quase não cobria minhas auréolas, além de o tecido ficar muito mais esticado e transparente. Mas o Marcos achou que ainda não estava legal, e com uma tesoura ele cortou alguns centímetros da parte de baixo deixando apenas o suficiente para cobrir a minha bunda e nada além disso.

Nós saímos na sexta-feira à tarde um pouco antes de escurecer e no meio da viagem o Marcos me disse que faríamos uma pausa na viagem para uma conhecer uma festa conhecida como "Baile do Hawaii". Mas como ainda era um pouco cedo, nós paramos num shopping para jantar e esperar pelo início da festa.

O Marcos, novamente, havia planejado tudo, pois a roupa que eu estava usando certamente seria o centro das atenções em um shopping. Além de o meu vestido estar tão curto que praticamente não escondia a minha bunda, ele era consideravelmente transparente e dava para ver nitidamente os meus mamilos.

Sem falar que o decote que já era bastante ousado quando meus seios eram bem menores, agora ele mal conseguia manter meus mamilos cobertos. Conforme eu andava o decote ia abrindo e se eu não ficasse o tempo todo arrumando, meus mamilos ficavam expostos com facilidade. Conforme eu andava, o vestido subia deixando minha bunda e minha vagina praticamente descobertos e se eu puxasse o vestido para baixo, meu decote se abria e meus mamilos é que ficavam expostos.

O Marcos se divertia com a minha briga com o vestido e eu ficava excitada, pois não era possível caminhar sem deixar alguma parte do meu corpo à mostra. Nós fizemos nossos pratos num restaurante fast-food e nos sentamos em uma mesinha no meio da praça de alimentação. Depois de algum tempo eu notei que um cara numa mesa próxima não parava de olhar para mim e logo desconfiei do motivo. Olhei para o meu decote e vi que um dos meus mamilos estava completamente de fora.

O Marcos já tinha percebido, mas não disse nada. Ficou apenas esperando para ver quanto tempo eu demoraria para notar. Depois de comer, nós andamos um pouco pelo shopping e o Marcos ficou o tempo abraçado comigo, para se certificar que o meu vestido estivesse sempre mostrando alguma parte do meu corpo. Por diversas vezes ele conseguiu puxar meu vestido fazendo com que o decote abrisse o suficiente para que meu seio ficasse completamente exposto. E isso na frente de diversas pessoas.

Saindo do shopping nós fomos para a festa que o Marcos havia comentado. Ali havia muitas garotas vestidas de forma sensual, mas nenhuma tinha uma roupa tão ousada como a minha. Logo eu e o Marcos notamos que eu estava atraindo a atenção de muitas pessoas. A festa era em um clube, ao ar livre, ao lado de algumas piscinas e com muitas mesas de frutas espalhadas sobre um gramado enorme.

A noite estava quente e o céu estava incrivelmente estrelado o que deixava a festa ainda mais interessante. Nós estávamos passeando perto de uma piscina e o Marcos deu um jeitinho de me fazer cair dentro da água. Rapidamente ele me ajudou a sair auxiliado por outro cara que apareceu não sei de onde. Meu vestido que era meio transparente agora estava completamente transparente e colado no meu corpo. Era como se eu estivesse nua, pois eu não estava usando nada por baixo dele.

Dava para ver claramente que a minha vagina estava completamente depilada e meus seios estavam perfeitamente visíveis. Eu sabia que não adiantaria reclamar, e apesar de tudo eu até que gostei de cair na piscina, pois além de a água estar uma delícia, eu estava gostando das atenções sobre mim. Com o vestido molhado, por onde eu andasse, sempre tinha várias pessoas olhando para o meu corpo. Era como se eu estivesse nua, mas para todos os efeitos eu estava vestida e aquela minha aparência era puramente acidental.

Nós passeamos pelo clube por alguns minutos até que o meu vestido começou a secar e ficar menos transparente. O Marcos, que não podia deixar aquilo acontecer, comprou uma garrafa de água, me levou até um canto e disfarçadamente derramou toda a água em meu vestido deixando-o completamente encharcado novamente. Só que aquela água estava mais fria que a da piscina e meus mamilos ficaram duros no mesmo momento. O problema era que eu estava chamando demais a atenção e um grupo de rapazes começou a nos seguir onde quer que nós fôssemos e me olhavam de forma insistente.

O Marcos achou que seria melhor irmos embora antes que eles resolvessem ser mais ousados e nos criassem problemas. Então nós saímos da festa rapidamente e voltamos para o carro. Só que o meu vestido ainda estava muito molhado e o Marcos me perguntou se eu me incomodava de terminar a viagem sem ele. Eu nem respondi e simplesmente fiquei nua, mesmo porque eram mais de onze horas da noite e o carro tinha os vidros escuros. Não daria para ver nada dentro do carro mesmo. Durante o restante da viagem ele me disse que havia comprado alguns biquínis novos para mim pela internet que eu iria adorá-los.

Alguns minutos mais tarde nós chegamos na frente no hotel e o Marcos me pediu para esperar no carro. Ele entrou, pegou o cartão que abria a porta do nosso quarto e voltou para o carro. Ele disse que iria colocar o carro no estacionamento e então nós iríamos para o quarto. Ele perguntou se eu teria coragem de ir nua e eu disse que não perderia a oportunidade. O Marcos sorriu e entrou com o carro no estacionamento.

Nós descemos do carro, pegamos as malas e começamos a andar pelo estacionamento. Eu estava completamente nua segurando uma mala em uma das mãos e uma nécessaire na outra. Foi quando eu percebi que no estacionamento não havia elevadores e nós teríamos que subir uma escada até o saguão do hotel para poder pegar o elevador. Eu fiquei olhando para o Marcos e ele sorriu para mim, acenando com a cabeça para eu o acompanhar.

Eu subi atrás do Marcos, preocupada em ser flagrada dentro do hotel e criar problemas logo no primeiro dia. Mas o Marcos não era tão inconseqüente e já havia verificado que lugar por onde passaríamos não ficava à vista da recepção. Para nossa sorte, os dois elevadores estavam no térreo e nós pudemos entrar rapidamente e subir para o oitavo andar, onde ficava o nosso quarto. Nós estávamos muito cansados da viagem, mas sobrou energia suficiente para uma boa dose de sexo antes de dormir.

Report Story

byTathy© 0 comments/ 153 views/ 0 favorites

Share the love

Similar stories

Tags For This Story

Report a Bug

1 Pages:1

Por Favor Classifique Este Envio:

Please Rate This Submission:

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Please wait
Recent
Comments
by Anonymous

If the above comment contains any ads, links, or breaks Literotica rules, please report it.

There are no recent comments  - Click here to add a comment to this story

Add a
Comment

Post a public comment on this submission (click here to send private anonymous feedback to the author instead).

Post comment as (click to select):

Refresh ImageVocê pode também escutar a uma gravação dos personagens.

Preview comment

Forgot your password?

Please wait

Change picture

Your current user avatar, all sizes:

Default size User Picture  Medium size User Picture  Small size User Picture  Tiny size User Picture

You have a new user avatar waiting for moderation.

Select new user avatar:

   Cancel